Fernando Haddad não irá mais visitar Lula em Curitiba durante o 2. turno

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, falou que o presidiário ex-presidente Lula enviou uma mensagem ao candidato à Presidência: 'Manda o Haddad fazer campanha"

0
72
Divulgação PT

09A senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffman, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado na operação Lava Jato, exigiu que o candidato à Presidência da República, Fernando Haddad, não vá mais fazer visitas a ele na carceragem da sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Preso desde 7 de abril desse ano, Lula espera que Haddad se concentre nas agendas de rua da campanha neste segundo turno e deixe de visitá-lo na prisão semanalmente, como tem feito até o momento. “Foi um recado para mim: manda o Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui”, segundo Gleisi Hoffman.

Em uma entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul (RS), Haddad falou, “jamais vou deixar de defender que Lula foi condenado sem provas” e confirmou que só está no segundo turno “em função do projeto que Lula representa”.

Lançamento

Comentando sobre o papel que Lula teria em possível governo, Haddad afirmou que o ele foi o melhor presidente da História do País. “Nesta condição, acho que ele tem muito a contribuir pelo Brasil e pelo mundo”, disse. “O Brasil nunca foi tão feliz, nós queremos retomar um Brasil que deu certo.”

Haddad também negou que Lula tenha dito para ele ser mais “Haddad” nesta segunda etapa da campanha. “O que Lula me disse ontem era para eu ir para a rua e ganhar esta eleição”, afirmou.

O candidato do PT e Foro de São Paulo cobrou a presença do concorrente, Jair Bolsonaro (PSL), nos debates no segundo turno. “Como ele tem dado entrevistas, creio que ele tem condições de ir a debates”, disse. “Nunca fugi a um debate. Nem com gripe. Espero que ele compareça.”