De surpresa, Bolsonaro vai a pé ao Congresso para sessão de homenagem a humorista

0
26

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro interrompeu a agenda na manhã desta quarta-feira e foi de surpresa à Câmara dos Deputados, a pé, para participar de uma sessão solene em homenagem ao humorista Carlos Alberto de Nóbrega.

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto
21/05/2019 REUTERS/Adriano Machado

Lançamento

Bolsonaro participava de um café da manhã com deputados do partido Novo quando, de acordo com relatos de parlamentares, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, pediu licença para sair mais cedo para ir à sessão da Câmara. Bolsonaro então decidiu ir junto.

O presidente atravessou a pé o trecho da Esplanada dos Ministérios que separa o Palácio do Planalto e o Congresso, acompanhado dos deputados do Novo, de Onyx e do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, e cercado de seguranças e jornalistas.

A visita surpresa causou confusão no plenário da Câmara. A sessão estava sendo conduzida pelo deputado Alexandre Frota (PSL-SP) no momento da chegada de Bolsonaro. Apesar de constar na agenda do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ele raramente comparece a esse tipo de cerimônia. Pela manhã, Maia tinha um café da manhã na residência oficial com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e mais tarde um outro encontro também na residência oficial.

Ao chegar à Câmara, Bolsonaro perguntou sobre Maia e, ao ser informado de que o deputado estaria a caminho, disse que esperaria um pouco antes de voltar ao Planalto.

“Só Rodrigo Maia chegando, que a Casa é dele, já avisamos que estaríamos aqui, apertar a mão dele e voltar para o lado de lá, porque tem muito trabalho lá e vocês também têm aqui”, disse Bolsonaro a parlamentares.

A chegada de Bolsonaro fez com que Maia saísse de casa às pressas. Ao entrar no plenário, o presidente da Câmara agradeceu a Alexandre Frota, que já havia lido seu discurso ao homenageado, e ao presidente, por sua presença na Casa, mas não se furtou de reclamar da visita inesperada.

“Ao presidente Bolsonaro, por estar prestigiando mais uma vez a Câmara dos Deputados, com a sua presença fora da agenda, o que desorganiza a nossa agenda também. Eu estava com cinco reuniões, tive que vestir o terno e vir correndo”, disse.

Ao sair do plenário, Maia explicou que não estava confirmada sua presença na sessão solene.

“Mas foi bom, foi bom o presidente vir aqui prestigiar o homenageado, a Câmara, a gente precisa mais disso, mais de diálogo e proximidade do que de conflito”, disse, explicando que Bolsonaro lhe telefonou. “O presidente me ligou mais cedo, disse que vinha, mas ele veio rápido demais.”

Reportagem de Lisandra Paraguassu