Por Enrique Aristeguieta Gramcko

A  Grande Aliança Nacional – GANA – dirige-se ao povo venezuelano neste momento histórico, para enviar uma mensagem de esperança e de triunfo. Desde o passado 23 de janeiro, há apenas uma semana, quando o presidente Juan Guaidó se juramentou, aconteceram coisas maravilhosas.

O povo está unido e emocionado em torno de um ideal: a saída de Maduro e a volta da liberdade. Os países civilizados também estão unidos, apoiando Guaidó e rechaçando a tirania. Já contamos com novos representantes diplomáticos reconhecidos internacionalmente. Além disso, começou a se produzir a quebra do regime, com o pronunciamento de funcionários em favor do Presidente Interino Juan Guaidó.

Entretanto, não podemos baixar a guarda porque setores do chavismo, dirigidos por Diosdado Cabello, fomentam a violência. Simultaneamente, há colaboracionistas já conhecidos, que pretendem promover um novo diálogo sem condições prévias. Uns e outros só procuram adiar o desenlace.

Por motivo do levante de Cotiza, os sublevados confessaram estar sofrendo as mesmas calamidades que  sofrem o resto dos venezuelanos. Denunciaram, ademais, que os altos comandos “se enchem de dinheiro”, enquanto eles carecem de casa, comida e soldos dignos. Em outras palavras, os militares de Cotiza mostraram a existência de uma fratura dentro das Forças Armadas.

Por isso se faz necessário concretizar a chegada da ajuda humanitária, como já anunciou o presidente Guaidó. Quando os alimentos e os medicamentos chegarem ao país, os soldados terão que decidir entre disparar no povo humilde ou colaborar na distribuição dos alimentos. Estamos seguros de que optarão pela segunda opção.

Por esses motivos, GANA considera que materializar a ajuda humanitária deve ser a primeira prioridade, tanto do governo interino de Guaidó, quanto da Assembléia Nacional. Do mesmo modo, nossos recém-nomeados representantes diplomáticos devem ter como sua missão mais importante, coordenar essa ajuda humanitária com os países aliados.

Nesse momento, é utópico que se possam realizar eleições sérias. É apressado o lançamento de candidaturas. Para que isso ocorra, o primordial é continuar apoiando o governo de transição.

Nada nem ninguém nos impedirá de alcançar a libertação da Venezuela. Sigamos adiante, com entusiasmo e fé no triunfo!

* Presidente de GANA

Tradução: Graça Salgueiro